segunda-feira, 23 de julho de 2012

documentado



Olá a todos e todas,

depois de um tempinhos de nosso última postagem, vim aqui para falar sobre um documentário sobre bandas independentes da região de Marília que participamos.

estávamos lá tocando, fazendo um barulhinho quando nos chamaram para conversar com um equipamento de captação de imagem/áudio e foi divertido.

falamos um pouco de algumas coisas e também sobre outras,

fizeram uma edição para cortar umas bobeiras que falamos e o vídeo ficou bom!


Além de nós, outras bandas estão presentes, cada uma ao seu estilo mostrando a diversidade do independente (somos bem a favor da diversidade) - tem a banda Maria da Segunda Distração, Os Pícios.


estava aqui pensando o quão difícil é colocar em palavras (comunicar) essa outra forma de linguagem (a música). afina, essas linguagens fazem parte de áreas diferentes do cérebro, mas claro que não falarei sobre isso pois se não vocês dormiriam (a não ser que estejam fumando maconha, daí podem achar interessante e viajar na batatinha).



devo salientar que ao nos ver falando, pode achar que estamos bêbados. havíamos bebido pouco durante o show então essa sensação é derivada em muito do estado de graça proporcionado por tocar.

Acho que nem compensa falar muita coisa não porque meu pensamento não tem uma lógica muito linear, mas caso tenham alguma dúvida, a gente explica sem muita cerimônia.

um beijo no coração de todo mundo

sendo assim, segue a parte 1/4. o restante não estou conseguindo anexar aqui, então vou colocar o link delas>




http://www.youtube.com/watch?v=dWSlObAhhXc&feature=relmfu

http://www.youtube.com/watch?v=o6PM9LE09yw&feature=relmfu

http://www.youtube.com/watch?v=9g-76K78dT0&feature=relmfu

segunda-feira, 21 de maio de 2012

nullius em colorido e alto som

segunda feira é dia de trabalho também para o nullius.
e, sendo assim, tem um vídeo bem colorido saído do forno:
ele até pode ser o teaser para o próximo show. mas por enquanto é só do blog


video




abraço.
e quem quiser ouvir as músicas e outros vídeos.
só ir no TNB da banda (link ali do lado)

segunda-feira, 14 de maio de 2012




bom dia a todas e a todos, conforme a regra de boa etiqueta contra a normatividade de gêneros,

Recentemtne participamos da oitava noite fora do eixo de Marília que foi bem fora do eixo mesmo, afinal, foi conosco, os Rélpis e os Zababô Zebrinha, bandas bem fora do que poderia ser um eixo.

mas começarei do início da Viagem para um dos membros:



o André, morador da comarca de são paulo deixou para comprar a passagem de última hora  e saiu de casa no tempo certo para esperar pouco o ônibus na rodoviária. e o que aconteceu? alguém advinha?

errou quem achou que perdi o busa. eu fui para a rodoviária errada, mas consegui sair correndo e chegar na barra-funda no horário certinho do ônibus e ainda tinham três lugares! (as vezes me considero muito foda, sabe)




só que o ônibus quebrou no meio da estrada e tivemos que esperar uma hora até que o outro nos socorresse. assim, a viagem que duraria seis horas durou sete.

enquanto isso o guilherme fazia outras coisas até que, quando cheguei, às sete da manhã, ele dormia com seu cabelo curto.



daí que fizemos umas coisas e compramos umas lingerries e uma saia linda. também ensaiamos e fizemos uma música - coisa que gostaríamos de fazer mais, só que infelizmente a distância tem nos podado os momentos de criação conjunta.

a música nova ainda está com nome provisório de ''palmadas nitrosas'' e, se quiserem ouví-la, basta ir a nossos shows cheio de energia psicmotora que a gente começará a introduzir nos eventos (pena que ainda não temos show na nossa agenda, mas contamos com a vontade de algum fazedor de eventos independentes que pague  no mínimo a nossa viagem (quem não é do babado acha que é fácil, mas tem um bando de banda por ai tocando e pagando pra viajar enquanto vocês pagam ingresso). - lá em Marília eles ajudaram as bandas.



mas vamos ao motivo desse texto.

a noite de sábado estava gostosa, com friozinho delicado como o som que teria em seguida (na verdade o frio estava mais delicado) e ai, por um acerto entre cavalheiros, o nullius foi a primeira banda. 

nullius tocou com os típicos dois membros, uma pessoa subiu ao palco para ler um pouco como é de costume. o douglas (baixo do Rélpis) subiu pra dar uma baixada no ''pobre imundo'' e no finalzinho, subiu um bando de gente pra fazer arruaça junto com a gente, despirocando um pouco a música pra elevar ao grau de antimusical o ato que fizemos (e comumente fazemos). 



daí que quem chegou cedo pôde ver a raiva enfurecidamente compactada em nós dois por conta de umas safadezas (no sentido ruim) que soubemos, mas disso não falarei porque o corpo já tratou de expressar a indignação no decorrer das músicas naquele dia.

a segunda banda foi a zebrante zababô zebrinha. os meninos tem uma força danada contida e que explode em distorção durante o vocal monotônico cheio de letra fina e com mostras do cotidiano absurdo e corriqueiro. letras tão verídicas que fiquei com receio que alguém fosse enfiar o dedo molhado na minha orelha.
Devo ressaltar também que eles fizeram o lançamento oficial do cd deles e, apesar de ter caído do meu lado, não fui esperto pra conseguir pegà-lo.

a terceira banda acho que vocês já sabem qual foi e, por saberem,  dispensa apresentação. mas os garotos foram da pá virada. mostraram umas músicas que logo mais estarão no próximo álbum. tinha o garboso tocando violão em duas musicas. o guilherme também subiu. rolou um box vocal com um cara que não sei o nome mas que se divertiu bastante cantando durante o improviso final da rapaziada. aliás, o final do rélpis foi transcendente. subiu um bando de gente que ficou fritando a bagaça. ou seja, foi muito bom.



o legal quando essas bandas se juntam é que sempre rola um palco livre  que o povo de assis tanto gostava (e que até saia briga nos shows  na cidade, na unesp. teve uma vez que quase levei um abridor de cerveja na cara de um retardado. por sorte, só quebrou o vidro atrás de mim).

acho que é isso. 

futuramente gravaremos umas músicas.



 quem quiser nos convidar para tocar, vamos felizes e tentamos ficar felizes até a hora do show, quando os porcos se apropriam de nossos corpos e nos enfurecem)

espero que todos façam sexo ao longo da vida.

ps - mano! ia me esquecendo. recebemos um elogio bacana lá. disseram que somos o ''sonic youth brasileiro''(sic). rsrsrsrs. deve ser porque a gente enfia o pé na jaca. eu não ousaria nos comparar aos caras, mas como foi outra pessoa que fez isso, coloquei aqui.

ps2 - também teve a presença abençoada do sebastião, que fez uma oração com grande parte das bandas ao final de tudo. ele também disse que gosta de um rock e até cantou raul seixas acompanhado por estalos de dedos.







guilherme tirando merda do calçado
sebastião











segunda-feira, 7 de maio de 2012


Todos sabem (ou quase alguns) que gostamos de tocar em Marília.


um dos motivos é porque o pessoal de lá é bacana à beça.

outro motivo é porque nos chamam pra tocar lá (gostamos de ser chamados).

outro é porque nos sentimos em casa, não só porque um dos integrantes é de lá.



outro motivo é porque o pessoa se despiroca junto conosco.

mais um motivo é o cheiro de bolacha (mas só um dos membros sente o aroma pois o outro já se acostumou e não tem mais o estranhamento)




daí que nesse fim de semana tocaremos lá.

juntamente com o irmãos dos Rélpis e os irmãos do Zababô Zebrinha.

os Rélpis o pessoal acho que conhece bem: eles são coloridos, escalafobéticos e esquizitos. tocam de forma desregrada mas muito bem ensaiada. gritam e falam mansinho e as vezes ficam de cabeça pra baixo.


os Zababô Zebrinha é um banca bicolocar apenas na cor, mas no som, pelo que ouvi até agora, né não. tem várias nuances de guitarra e bateria e voz e todos pintadinhos. sabe, bem zebra mesmo. - tenho que salientar também que os menino vão lançar seu primeiro cd feito à mão.


isso me lembra quando levávamos nossos cds caseiros pelos lugares. um dia ainda voltaremos a fazer isso.
.

muitos já conhecem essas três bandas. outros muitos conhecem apenas uma ou duas ou nenhuma das bandas. quem conhece, sabe que é bom vê-la. quem não conhece, vai l´[a, quem sabe gosta, né.

dai, depois de tocarmos, boto umas fotos aqui.


queria falar também da virada cultural. vi uma banda muito boa. ainda quero tocar com esses fofinhos. a banda é o star 61. um chuchu de música. dêem uma procurada que vale a pena.



(o show do ''man or astro man'' foi do cacete torado também, viu. puta que pariu)


teve muitas outras coisas na virada. mas não deu pra ver

segunda-feira, 12 de março de 2012

Marília de Dirceu, Marília de Bocage e Marília do Grito Rock

olá.

é com dor nas costas que inicio este comentário, mas a dor é apenas física pois por dentro a empolgação do delírio desse fim de semana ainda reina.

no último dia 10 tocamos na primeira edição do Grito Rock em Marília (a Marília do Desdobra) e foi do cacete. infelizmente um de nossos integrantes não pôde estar presente no dias anteriores, mas o outro sim e disse coisas boníssimas das noites.

bom. para nós o dia se iniciou com o ensaio na casa mariliense do Nullius, tocamos umas horinhas e pronto. tomamos banho e fomos comer feijoada com yakissoba num lugar religioso com a banda The Cleaners. a comida estava bacana e deu para conhecermos alguns colegas de música.

saímos do lugar religiosos e fomos comprar Run. aquele do pirata.

chegamos ao local do show, um dos membros teve um desalinho intestinal. cumprimentamos as pessoas queridas que já conhecíamos e outras que não conhecíamos. conversamos também um pouco com o pessoal do ''María da 2° distração'' - banda de Lins (bacana os caras. nós nunca conversamos muito, mas eles parecem ser bacanas).



enfim, ficamos perambulando de um lado pro outro devido a várias ansiedades que ocupavam-se da gente, ouvimos os caras da ''...Distração'', conversamos com o pessoal da projeção (pois é, gente, agora a gente tá tentando inserir um lance visual ao nosso show pois isso está na moda e gostamos de seguir a tendência (aff) - na verdade são os microcurtas que vocês já devem ter visto aqui no blog. assim a gente dava uma outra opção pra quem não tava afim de olhar a banda, mas não tinha ninguém pra conversar e não queria sair do recinto pois estava frio. quem quisesse, podia olhar os vídeos. não é bacana. a gente pensa bastante no nosso público (aff).

daí que a gente começou a tocar. não é que eu queria me gabar não, mas eu gostei bastante do show. o pessoal tava animado. no início nem tanto, mas no final o pessoal tava tudo lá pulando e mexendo a nuca (quem conhece a nossa banda, sabe que geralmente o pessoal olha, bota a mão no queixo, cruza os braços, mas não dança muito).

no segundo momento de improvisação livre, convidamos o DJ André Jundi pra compor a bizarrice e foi do balaco.


eu estava com bastante saudade de tocar. nosso último show tinha sido em outubro de 2011, então, a vontade em vomitar um pouquinho de música tava que tava queimando no esôfago. foi uma beleza.




















depois do show acabamos respondendo algumas perguntas olhando para uma câmera. gostei das perguntas, mas confesso que as respostas saíram com certo teor etílico, então, se alguém assistir à entrevista, releve as palavras com com dicção defeituosa ou as palavras descontextualizadas.

o set list foi esse, ó:


se encontrarmos mais fotos, postamos depois.

beijos

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

vai um cafezinho?



alguns podem ter achado que morremos, mas estávamos apenas num estado cataléptico,
além do beijos, segue também um novo vídeo.




video



                                                                                               passem bem, pessoas queridas
                                                                                                       vai um cafezinho ai?